©2019 by Carmem farage. Proudly created with Wix.com

Você acredita em milagres?

É bastante frequente que as pessoas me perguntem sobre o que penso a respeito das promessas de cura vindas de curandeiros de toda ordem.

Constato que, normalmente, pessoas dão crédito a tudo que vem do mundo espiritual, como se o simples fato de ser um espírito validasse suas ações. Devemos ter em mente certas regras que sempre nos ajudarão a distinguir aquilo que serve para nós, daquilo que pode ser apenas uma tentativa de aliciamento por parte de uma ordem espiritual que não é totalmente de luz! Sim, porque pode acontecer de uma pessoa estar canalizando um espírito e este não ser totalmente de luz!

O mundo espiritual (a quarta dimensão) não passa de uma outra camada quântica com vida exatamente como a nossa, porém, em outra vibração. O que isto significa? Gosto de comparar as diversas camadas quânticas com as sintonias do rádio. À medida que giramos o dial, encontramos todo tipo de canal. No mundo espiritual, é a mesma coisa: dependendo da vibração de cada ser, estaremos em sintonia com todo tipo de espírito! Se estivermos escutando canais de rádio AM, jamais vamos trazer canais da FM para nós! Da mesma forma, se sintonizamos frequências emocionais baixas ou negativas, jamais traremos para nós as vibrações sutis de seres de luz. Assim como aqui entre nós da terceira dimensão encontramos todo tipo de gente, lá também.

Cura fácil é perigoso. Se um curandeiro promete curar seu câncer, pergunte-se em nome de quem ele faz isso. Sim, porque devemos pensar que tudo neste mundo tem um porquê. Temos que funcionar de acordo com uma lógica. Você acredita em milagres? Você crê que Deus pode tudo? Então, por que ele não cura a todos os seus filhos amados e nos livra do mal deste mundo? Resposta: porque aquilo que julgamos ser mal neste mundo é, na verdade, aquilo de que nosso espírito necessita para mudar e evoluir. As dificuldades pelas quais passamos nesta vida foram formatadas por nós mesmos! Não foi Deus quem as deu pra nós de presente. Isto seria muito injusto. Ao longo dos tempos, as experiências de sobrevivência se acumularam, nós mudamos consideravelmente, mas ficaram as sequelas daquilo que plantamos. Teremos que lidar com elas e enquanto lidamos, adquirimos experiências suficientemente grandes para darmos verdadeiros saltos evolutivos.

Portanto, não existe cura sem reforma íntima. Quando vemos alguém receber cura de um espírito, sem se perguntar por que houve doença, sem sequer trabalhar seu universo emocional antes de receber a cura, saiba que aquela cura será superficial e a pessoa, na melhor das hipóteses, irá para a próxima vida com a doença “encubada”. Apenas adiou o problema. Adiar o problema é jogar a sujeira para debaixo do tapete. As consequências disso são que, enquanto não se trabalham os porquês, adquirem-se novos carmas em função dos equívocos que se cometem, já que não houve mudanças e ainda por cima a pessoa está ótima, sentindo-se livre, leve e solta pra continuar fazendo as mesmas coisas “erradas” de sempre, ou seja, repetindo seus padrões equivocados de comportamento por mais tempo, ao passo que já poderia estar abreviando tudo isso. Tomemos como exemplo um homem já mais velho, na casa dos 65 anos, diagnóstico de câncer, muito rude e agressivo com a família durante toda sua vida adulta. Recebe cirurgia espiritual e a cura do câncer. Todos ficam felizes e a vida continua. Aquele homem continua agressivo, controlador e submetendo sua família aos destratos que ele julga normais, sem a oportunidade de viver, através da doença, a reforma íntima que traria a ele a transformação interna antes de desencarnar! A morte não é o fim. Apenas trocamos de estado físico. Do sólido para o gasoso. Nossa mente é gasosa, não é sólida. Estaremos funcionando exatamente como somos, só que não mais na terceira dimensão e sim na quarta. Depois da quarta dimensão, devemos ultrapassá-la para alcançar estados cada vez mais sutis de ser. Isto é luz e determina se estamos em paz e livres da roda encarnatória. Mas se não fizemos a reforma íntima, como fica?  Resposta: ficamos vagando entre o céu e a Terra sem rumo e desesperados, sem saber direito o que está nos acontecendo até que, por lei, reencarnamos. Reencarnamos para que possamos ter nova oportunidade de reforma íntima. E até quando vamos querer ficar no looping eterno do sofrimento humano na Terra?

Eu me pergunto todos os dias por que não nos atemos realmente ao que interessa. Eu sou humana, quando falo isso, falo de mim mesma também! Estamos muito mais ocupados em nos divertir e fazer a vida ficar legal, do que realizar as mudanças. Quebrar a cabeça atrás dos porquês. Nós disfarçamos a vida. Nós fingimos pra nós mesmos que está tudo bem. Nós enfeitamos o pavão, como se dizia antigamente. Ou seja, não queremos saber. Nós não queremos, de forma alguma, saber. Mas vamos sofrendo as consequências mesmo assim.

Vamos sofrer sem saber o porquê, e sofrer no escuro é muito pior! Se abrirmos nossa mente e nosso coração em busca das respostas, alcançaremos outras frequências que nos trarão esperanças e compreensão de nós mesmos. Por isso eu digo: não devemos aceitar que alguém venha e diga: deite-se aqui que eu vou lhe curar! Pois isto é desrespeitoso para conosco! É contra aquilo que devemos fazer para que possamos criar em nós a nossa cura. Nós temos em nós o poder de curar a nós mesmos. É para isto que estamos aqui: para aprender a ser deuses através da vida! Jesus disse: vós sois deuses. Coisas maiores que eu poderás fazer! (João 10:34).

Ninguém pode viver a vida por você! Aceite ajuda, sim, mas tenha a visão de que não poderá ser de forma passiva! Aprenda a conhecer seu íntimo e criar a sua mudança interna. Mude! É neste milagre que eu acredito.

22 visualizações